Hopp för miljontals människor med fibromyalgi som test av nya tarmbakterier kan diagnostisera tillståndet snabbare

Lady Gaga, Kirsty Young och Morgan Freeman kan ha det, men det finns litet hopp för fibromyalgi-patienter hittills.

Det inaktiverande tillståndet drabbar upp till 4% av befolkningen och har inget känt botemedel.

Men en ny studie kunde åtminstone ha hittat en av orsakerna till detta.

Forskare fann att drabbade av fibromyalgi hade många eller få arter av tarmbakterier jämfört med andra människor.

Och denna upptäckt kan vara avgörande för att hjälpa människor få snabbare diagnoser.

De analyserade tarmbakterierna hos 156 personer som bodde i Montreal, Kanada – varav 77 hade fibromyalgi.

Alla intervjuades innan de gav prover av bajs, blod, saliv och urin, allt jämfört med personer utan detta tillstånd.

Tarmbakterier förändras med tillstånd

De fann att personer med fibromyalgi hade en drastisk sammansättning av tarmbakterier för dem som inte gjorde det.

Personal från McGill University Health Center använde konstgjord intelligens för att bekräfta att förändringar i bakterierna inte orsakades av kost, medicinering, träning eller ålder.

Com o computador, eles poderiam diagnosticar pessoas com a doença simplesmente observando seu microbioma intestinal – com quase 90% de precisão.

Mais dor = mais bactérias mudam

“Descobrimos que a fibromialgia e os sintomas da fibromialgia – dor, fadiga e dificuldades cognitivas – contribuem mais do que qualquer um dos outros fatores para as variações que vemos no microbioma das pessoas com a doença”, disse o principal autor do estudo, Amir Minerbi.

“Também vimos que a gravidade dos sintomas de um paciente estava diretamente correlacionada com uma presença aumentada ou uma ausência mais pronunciada de certas bactérias – algo que nunca foi relatado antes.”

Atualmente, os pesquisadores ainda não entendem por que as pessoas com fibromialgia teriam um equilíbrio bacteriano diferente do intestino.

Como a condição é um conjunto de sintomas, e não um problema, o próximo passo da pesquisa será determinar se existem mudanças semelhantes às bactérias intestinais em outras condições que giram em torno da dor crônica.

As bactérias intestinais equilibram a dor? E se isso afeta a dor, isso significa que a cura pode estar no horizonte?

No momento, pacientes com fibromialgia podem esperar até cinco anos para um diagnóstico.

O diagnóstico da IA ​​é 87% correto

Mas isso pode estar prestes a mudar.

Emmanuel Gonzalez, da equipe McGill, disse que seu computador pode diagnosticar a fibromialgia com base apenas na composição do microbioma intestinal.

Ele tinha uma precisão de 87%.

“Quando construímos essa descoberta inicial com mais pesquisas, esperamos melhorar essa precisão e potencialmente criar uma mudança radical no diagnóstico”, disse ele.

O próximo passo dos pesquisadores é verificar se eles obtêm resultados semelhantes em outro grupo de participantes.

Os resultados vieram depois que um estudo publicado em março descobriu que a condição poderia ser detectada em breve através de um simples exame de sangue.

Na época, o co-autor Luis Rodriguez-Saona chamou os primeiros resultados “notáveis”.

Eles descobriram que havia padrões claros no sangue de pacientes com fibromialgia que os tornavam diferentes daqueles com outros distúrbios.

Advertisement

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *